domingo, 18 de janeiro de 2015

Resenha: "Ugly Love"

Sabe quando você está tão apaixonada por um autor que quer simplesmente ler tudo que ele escreve?! Esse é meu caso com a Collleen Hoover, então sou mais que suspeita quando falo que AMEI “Ugly Love”, mas o livro faz por merecer. Ele é incrível e bastante intenso, o que eu considero uma caraterística da autora que consegue escrever New Adult’s com maestria e te deixar com uma grande depressão literária ao termino de seus livros e com “Ugly Love” não foi diferente.



Nesse livro Colleen conta a história Tate e Miles, ele é piloto de avião e ela está terminando seu mestrado em Enfermagem, e acaba de se mudar para o prédio de Miles, onde passará um tempo morando com seu irmão Corbin, vizinho de porta de Miles.
O primeiro encontro entre eles não acontece da forma habitual, assim que Tate chega no andar do apartamento do seu irmão, encontra um homem caído, bêbado em frente a sua porta e que a impede de entrar. Quando ela tenta,  o homem acorda e segura o tornozelo dela e diz que precisa entrar de qualquer jeito. É claro que ela se apavora, agride o cara e entra correndo. Nesse nervosismo todo ela acaba deixando a mala e a bolsa do lado de fora, então ela liga pro irmão em busca de apoio para voltar lá, ele diz que vai ligar para seu amigo Miles ajuda-la, ele só não esperava que seu amigo fosse o cara caído na porta. Então Corbin, por saber que seu amigo não é de fazer isso, pede que Tate o deixe entrar, e diz que chegará pela manhã.
Tate abre a porta, pega suas coisas e tenta empurrar Miles para dentro de casa, depois pega um travesseiro, e tenta ajeita-lo onde ele parou no chão, mas ele não fica lá por muito tempo, ele se levanta e vai pro sofá, Tate o acompanha e no meio tempo que ele abre os olhos ele a confunde com uma mulher chamada Rachel e começa a chorar pedindo o perdão dela, Tate tenta explicar que não é ela, mas percebe que não vai adiantar então só passa a mão por sua cabeça e o consola até que ele durma.
Miles finge que aquela noite nunca aconteceu, e se mostra um cara bem fechado, mas também bem tentador, afinal um moreno alto de olhos azuis intensos que frequenta sua casa é algo pra se notar e notar bastante.
Tate e Miles não interagem muito, até que Corbin chama Miles para passar o dia de Ação de graças em casa com os pais deles, aí a atração entre os dois fica evidente e incontrolável.
Porém Miles já conheceu a parte feia do amor, e não quer cair nas suas armadilhas de novo, e Tate está tão fascinada com ele que aceita o acordo de manter a relação entre os dois somente no âmbito sexual, onde ele só exige duas coisas, que ela não pergunte sobre o passado e nem pense no futuro.
O livro é narrado pelo ponto de vista da Tate, nos dias atuais, e também do Miles, no passado e no presente. Assim conseguimos entender como a Tate se sente em uma relação que nunca se imaginou e é mas difícil do que ela pensou. E conhecemos também os motivos  que fez Miles renegar o amor mais que qualquer outra coisa.
“O amor nem sempre é bonito. Algumas vezes você gasta todo o seu tempo esperando que finalmente algo seja diferente. Algo melhor. Então antes que você saiba você está de volta ao primeiro estágio, e percebe que perdeu seu coração em algum lugar do caminho.”