quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Resenha: "Alma?"

Primeiro livro da saga O Protetorado da Sombrinha, escrito pela autora, mais que interessante, Gail Carriger e publicado aqui no Brasil pela Editora Valentina.
Alma é um livro para morrer de rir, simplesmente! Estou apaixonada pela nada encantadora Alexia Tarabotti.
“Alma?” é um romance Steampunk. Steampunk é um subgênero da ficção cientifica. Enquanto temos livros que narram sobre as tecnologias magnificas e surpreendentes do futuro que desconhecemos, há também livro que narram as tecnologias que existiam no passado sem elas realmente existirem, ou seja, são narrativas situadas em séculos anteriores com algumas tecnologias que naquela época ainda não existiam ou estavam sendo aprimoradas.

No caso de “Alma?” o romance Steampunk se passa na era vitoriana, na Inglaterra. Eu, particularmente, adorei a forma como a autora Gail Carriger descreveu o mundo, ou melhor, a Inglaterra, durante o governo da Rainha Vitória.
Alexia Tarabotti, nossa protagonista é uma mulher de 26 anos, filha de italiano, corajosa e de gênio muito forte, e o mais importante, ela é literalmente uma desalmada. Alexia, é o que chamam de Pretenatural, uma mulher que não tem alma. Em um mundo onde Vampiros, Lobisomens e Fantasmas convivem com os humanos sem problemas, uma Pretenatural é o contrapeso de um Sobrenatural, ou seja, enquanto Sobrenaturais tem alma demais para suportar as mutações, uma Pretenatural não tem alma nenhuma e conseguem aniquilar os poderes de Vampiros, Lobisomens e Fantasmas.
No mundo criado por essa autora, conviver com Fantasmas, Lobisomens e Vampiros é extremamente normal, principalmente, na Inglaterra. A Rainha Vitória, por exemplo, tem como conselheiros um Lobisomem e um Vampiro. E eles devem obedecer as regras da sociedade.
 Lobisomens não devem andar nas ruas durante a Lua Cheia, quando não conseguem controlar seus impulsos licantropes, e para impedir que fiquem a solta, eles tem os Zeladores, pessoas que foram escolhidas por Lobisomens para se tornarem mais fortes, mas não completaram a Metamorfose e por isso não são imortais e não se transformam em Lobisomens completos.
Vampiros também tem seus Zangões, que são considerados como guardiões da Colmeia e, principalmente, da Abelha – Rainha, eles também não são totalmente Vampiros porque não concluíram a Metamorfose, mas são fortes e podem se alimentar de sangue também.
Uma das regras importantes de convivência entre Mortais e Sobrenaturais é que, como o exemplo dos Vampiros, eles não podem morder qualquer pessoa, em qualquer lugar. A pessoa deve ser uma voluntária e o Vampiro não pode sugar o sangue o suficiente para mata-la ou transformá-la em um Zangão ou um Vampiro.
Entretanto, nossa história começa quando essa regra é quebrada por um Vampiro durante um jantar. A senhorita Alexia Tarabotti, solitária na biblioteca de uma festa é atacada por um Vampiro, entretanto esse Vampiro desconhece da posição da Srta. Tarabotti de Pretenatural e ao se aproximar da moça, suas presas recuam e ele não consegue mordê-la. Tomando isso como um tremendo insulto. Afinal, quem era ele para desrespeitar as regras e tentar ataca-la sem nem se apresentar? Mas não se dando por vencido, o Vampiro tenta sufocar a senhorita apertando seu pescoço, porém, quem achava que ela era indefesa, se enganou totalmente, Alexia puxa um dos pauzinhos de madeira que prendem seus cabelos e ataca com ele no coração do Vampiro, matando-o.
Eis então que chega o Lorde Maccon, o chefe da DAS (Departamento de Assuntos Sobrenaturais), também conhecido como Conde de Woosley e o Alfa da alcateia de lobos, para averiguar o que estava acontecendo na biblioteca.
Lorde Maccon e a Srta. Tarabotti já se conheciam de incidentes anteriores e adoravam trocar farpas com frequência, afinal, nenhum dos dois gostava de levar desaforo para casa. E ele, como chefe da DAS, era um dos poucos que conheciam a situação de Alexia de ser uma Pretenatural.
Depois de narrado o acontecido, Lorde Maccon entende que a atitude de Alexia foi em legitima defesa e que o Vampiro em questão não deveria pertencer a nenhuma Colmeia, já que desconhecia das regras de convivência e o mais importante, também desconhecia que Alexia é uma Pretenatural, fato mais do que conhecido entre os Sobrenaturais. Por isso, Lorde Maccon se dispõe a investigar quem era o tal Vampiro e da onde ele veio.
Entretanto, as fofocas correm e logo a Colmeia de Westmister descobre do ocorrido e convida a Srta. Tarabotti para conhecer a abelha-rainha, a Condessa Nadasdy. Durante esse encontro, a Condessa confessa não saber quem era o Vampiro e que ele não fazia parte de sua Colmeia. Provavelmente era um Errante, um desses Vampiros que resolveram seguir a própria vida e não participar de uma Colmeia. Claro, respeitando as normas de convivência, mas sem obedecer a uma rainha ou a uma hierarquia. E o mais importante ainda, a Srta. Tarabotti descobre também que a Condessa não faz ideia o que está acontecendo com os Vampiros Errantes, eles tem sumido ao poucos e outros estão aparecendo sem ser por seu intermédio.
O Beta da alcateia de Woosley, o Prof. Lyall, acaba descobrindo que o mesmo vem acontecendo com os Lobisomens solitários, eles estão sumindo aos poucos e é então que começa uma investigação para descobrir o que está acontecendo com os Vampiros que não pertencem a Colmeias e a Lobisomens que não pertencem a Alcateias. E o mais importante de tudo, Alexia Tarabotti está mais do que em perigo, já que Pretenaturais são “inimigos” dos Sobrenaturais desde os primórdios da existência.
“Alma?” é um romance mais que cômico. Alexia Trabotti é a personagem mais divertida que eu já conheci. A forma como fala e como é “turrona” e se impõe e tem rinchas com o Lorde Maccon é muito engraçado. Esse romance é uma mistura de ficção cientifica, aventura, historia de amor e muita atração sexual, apesar de se passar no século XIX e os costumes de conservadorismo serem bem destacados, a sedução está no ar de uma forma agradável e engraçada.
Eu já estou muito ansiosa para ler o segundo livro, Metamorfose. Ao todo são 5 livros que foram lançados entre 2009 e 2012 nos Estados Unidos. Veja abaixo as capas internacionais.